Portuguese English Spanish
Sábado, 12 Agosto 2017 07:52

CAPAS DE DISCOS INESQUECÍVEIS

Capas de discos que você não pode, e nem vai querer, esquecer.

Fonte inesgotável de estampas para camisetas e afins, já dizia o ditado que não se deve comprar um livro (aplica-se aí o que mais você possa imaginar) pela capa.

Mas, vamos admitir, existem álbuns que nos conquistaram só pela capa, e dentre a enorme variedade de opções, escolhi - muito dificilmente - apenas dez para a minha lista.

Portanto, outras sugestões serão muito bem-vindas!

OBS: sem ordem de importância.

  

 

1º. Grace Jones - Nightclubbing (1981)

Grace_Jones-Nightclubbing-Frontal.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Considerado o melhor álbum da carreira de Grace Jones, Nightclubbing foi também o seu disco mais vendido e o mais marcante. A capa, concebida pelo fotógrafo Jean-Paul Goude, - mentor artístico dela, mostra Jones vestida numa jaqueta Armani segurando um cigarro com a boca. A imagem se tornaria icônica e símbolo de uma artista que representou a androginia como nenhuma outra.

2º. The Rolling Stones - Sticky Fingers (1971)

sticky fingers.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sugestiva e erótica como poucas, a capa de um dos melhores discos dos Stones enfatiza o duplo sentido do título, mostrando o close da braguilha de uma calça jeans masculina, com o volume de um pênis bem marcado aparente. A capa da edição original em vinil incluía uma espécie de zíper mecânico e uma fivela de cinto que abriam manualmente. Concebida por Andy Wharol, a foto da capa é de Billy Name, com design de Craig Braun; enquanto a identidade do modelo da foto ainda é uma dúvida.

3º. The Velvet Underground - The Velvet Underground & Nico (1967)

Capa-Andy-Warhol-1967-Velvet-Underground-e-Nico-1.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

De novo ele, outra vez, Andy Wharol. A cabeça por detrás do Velvet Underground foi o criador da estampa da banana na capa do álbum, talvez uma das mais famosas de todos os tempos. As primeiras cópias do disco traziam o convite "Descasque lentamente e veja" (Peel slowly and see); por debaixo da casca havia uma banana cor de carne. O mecanismo tornou ainda mais cara a produção do disco, que terminou sendo um fracasso comercial. A maioria das reedições posteriores não incluíram a tal mágica.

4º. The Smiths - Meat is Murder (1985)

the_smiths_meat_is_murder_1993_retail_cd-front.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Além das músicas inconfundíveis, os Smiths sempre se destacaram pela criatividade gráfica dos lançamentos do grupo, em nenhum dos quatro álbuns lançados havia a imagem dos integrantes da banda na capa. Em Meat is Murder, segundo do grupo, foi usada uma famosa imagem de 1967, de um soldado americano na guerra do Vietnã; enquanto a infame frase "Faça guerra não amor" (Make war not love), foi alterada para "Meat is murder" (Carne é assassinato). O título ia de encontro aos princípios do vocalista da banda, Morrissey, vegetariano e advogado dos direitos animais.

5º. David Bowie - Aladdin Sane (1973)

bowie.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Segundo álbum de Bowie sob a alcunha do personagem Ziggy Stardust, Aladdin Sane representava um avanço, a evolução da personagem que o tornou o maior ícone do Glam Rock. Ele próprio definiria Aladdin como "Ziggy goes to America". A foto de capa por Brian Duffy tornou-se a imagem mais famosa do cantor e ator, e fonte inesgotável de inspiração para os outros ao longo dos anos; ou ninguém se lembra do estouro de Lady Gaga lá pelos idos de 2008?!

 
6º. Cyndi Lauper - She's so Unusual (1983)

she's so unusual.jpeg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Talvez a imagem mais célebre da cantora que foi a cara dos anos 80, a foto da capa de She's so Unusual foi fotografada em frente ao Museu de Cera, em Coney Island, Nova Iorque. Vestida em um vestido vintage, com seus cabelos coloridos, meias, pulseiras, colares e brincos, é uma imagem que define completamente o estilo marcante de Lauper. A designer Janet Perr ganhou o Grammy Award for Best Recording Package, em 1985, pela direção de arte do álbum She's so Unusual. 

7º. Nirvana - Nevermind (1991)

nirvana nevermind album cover.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Objeto de infinitas paródias, a capa do disco de "Smells Like Ten Spirit" e "Come As You Are" foi a mais famosa dos discos lançados pelo Nirvana. A ideia foi concebida originalmente pelo vocalista Kurt Cobain enquanto assistia à um programa de tevê sobre partos n'água, e que posteriormente transmitiu a ideia ao diretor de arte Robert Fisher. O bebê da imagem, que parece "fisgado" pela nota de 1 dólar presa no anzol, chama-se Spencer Elden e tinha três meses de idade na época em que a foto foi tirada.

8º. The Beatles - Revolver (1966)

the_beatles_-revolver_2.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Que tarefa difícil escolher uma única capa de disco dos Beatles - dentre as várias ótimas - para por na lista. Então, bem, dentre todas, a minha favorita é sem dúvidas a do álbum Revolver de 1966; na minha opinião, a mais bela graficamente. A ilustração da capa, uma colagem de desenhos e fotografias, é de autoria do artista alemão Klaus Voormann, velho amigo dos rapazes da banda.

9º. Pink Floyd - The Dark Side of The Moon (1973)

dark_side.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um dos álbuns de rock mais aclamados de todos os tempos, tem também uma das capas mais lembradas. A arte foi criada pelos designers ingleses Hipgnosis e George Hardie. Richard Wright, músico da banda, sugeriu que eles concebessem algo "elegante, neutro, mais clássico". O resultado - o espectro de luz, o prisma, e o arco-íris, foi simplesmente épico.

10º. Madonna - True Blue (1986)

MADONNA-TRUEBLUE.jpg

 

 

 

 

 

 

  

  

 

 

 

É claro que não podia faltar uma capa da Rainha do Pop, Madonna; e a de True Blue, é de longe a mais bonita. O responsável por uma das imagens mais conhecidas da cantora foi o fotógrafo Herb Ritts. A foto azulada de uma Madonna pálida, de perfil, loiríssima, lábios vermelhos e com pescoço levantado com um cisne, estava totalmente de acordo com o caráter mais mais maduro e evoluído musicalmente que True Blue trazia. Na edição norte-americana e canadense não havia nada escrito na capa, ao contrário das lançadas na Europa e outros países, que mostravam o nome dela e do álbum, e que acabou se tornando mais conhecida, apesar de bem menos impactante.

Fonte obviousmag

 

Deixe um comentário

Receba nossas atualizações e notícas

Todos os direitos reservados Portal Cultura Alternativa. Site por Alvetti.com