Portuguese English Spanish
Quarta, 01 Novembro 2017 09:47

André Trindade, produtor, questionador, um membro efetivo da Tropicália atual

André Trindade André Trindade

E o que é a tropicália atual? Tropicália não foi há 50 anos? Tem show hoje sobre a tropicália? Leia esta matéria.

O tropicalista há 50 anos questionava o país com suas ações. André Trindade, questiona o país com seus posts no facebook. A tropicália atual se resume a ações no facebook? A tropicália trouxe vestimentas contemporâneas e até Tom Zé para o palco. André Trindade, se veste como bom moço e traz para o palco Mário Noya interpretando Tom Zé. Será que vai dar certo? Enfim, vale a pena ler esta entrevista com este camarada que quer mudar a produção nacional de shows, que há tempos atrás foi editor de fanzines, e cuja a cabeça enlouquece dia a dia com tantas ideias que tem a cada minuto.

 

André Trindade é um prazer te entrevistar via WhatsApp. Primeiro, em poucas palavras, sem copiar e colar currículos, informe para quem não te conhece, quem é André Trindade? Sua formação? Sua atividade profissional.

 

Sou André Trindade, produtor cultural, atuo desde os anos 90 no meio Cultural, inicialmente na área literária quando fui editor de fanzines, dei uma passada pelo audiovisual e agora estou ligado a projetos na área musical. Entre idas e vindas na área cultural, somam-se duas décadas. Costumo dizer que não é nós que escolhemos trabalhar com a arte e a Cultura é a arte e cultura que nos escolhe.

 

Agora vamos falar do evento de domingo. Como se chama, como surgiu a ideia e qual a concepção?

 

Entre os anos de 1967 e 1968 o Brasil foi surpreendido por um movimento Coletivo de artistas de vanguarda que teve uma grande influência da cultura pop brasileira e internacional e de correntes  como, por exemplo,o concretismo. O tropicalismo, também conhecido como Tropicália, foi inovador ao mesclar aspectos tradicionais da cultura nacional com inovações estéticas como, por exemplo, a pop art. A ideia de homenagear os 50 anos da Tropicália surgiu com a fusão de ideias da parceria entre eu e a Tuka Villa-lobos, que já vinha pensando em fazer algo do tipo junto com o Felipe Barão. A parceria entre nós três, ficou assim dividida: Eu fiquei na direção geral e artística junto a Tuka e o Felipe Barão coube a direção musical. Definida as funções foi a vez de escalar o time. Fiquei com a incumbência de escalar os vocais, além do Mario Noya e Geraldo Carvalho que fazem parte do Coletivo Música na Árvore, chamei a Andressa Catty e a Clara Telles. Sendo que a Tuka também compõe o time de vocais. Ao todo serão 20 pessoas envolvidas na produção, entre a equipe técnica e artistas. No palco, além dos cantores já citados, teremos  o Lucas Pimentel no baixo, Marcinho Silva no piano, Carlos Pial na percuteria, Alessandra Lalucce na flauta e o Barão na guitarra.

 

E o Brasil está comemorando os 50 anos, há outros eventos lembrando o movimento ou só vocês?

 

Vi poucos projetos homenageando os 50 anos de Tropicalismo. Mapeiei muitas referências, mas poucos dedicados exclusivamente ao tema. Dos exclusivos, tem um chamado Quanto mais Tropicália melhor, uma série de eventos inspiradores que circulou por várias cidades, patrocinado pelo Banco do Brasil e que trouxe grandes nomes da música brasileira, incluindo aí o Tom Zé. Em Brasília, somos os únicos que temos notícias.  Neste modelo do fazer Coletivo e colaborativo da cena independente, acredito que somos os únicos do Centro-Oeste também. Uma pena.

 

E o show quanto tempo de duração, que horas começa, onde os ingressos estão sendo vendidos, são duas ou uma parte, será gravado, enfim, dê todos os detalhes?

 

O show terá duração de 01h20, iniciando às 19h no teatro Plínio Marcos, mas teremos uma atividade na área externa iniciando às 16h em parceria com o Buraco do Jazz. Teremos também na área externa o varal de poesia coordenado pelo  escritor Elias Daher. Os ingressos para o espetáculo estão sendo vendidos por Whatsapp :.  61 98223-3452 ou através de venda online : clique aqui

Haverá registro audiovisual e fotográfico do espetáculo. Não haverá transmissão ao vivo devido as limitações da estrutura do local onde o sinal chega muito fraco e da própria internet brasileira.

 

Alguma coisa ficou pendente que você gostaria de colocar?

 

Este é um projeto coletivo, de artistas e produtores locais, a ideia é circularmos no próximo ano para outras cidades. A ideia dos arranjos musicais e a dinâmica do espetáculo não é reproduzir o Tropicalismo como em 1967/8 até porque seria impossível. A proposta é imaginar a Tropicália como seria hoje.

 

Agradecemos pela entrevista e informamos para público leitor que vamos cobrir o espetáculo a convite da produção do evento e faremos matéria critica sobre o mesmo.

 

Eu que agradeço a oportunidade de participar de uma entrevista em um portal da arte e cultura tão importante como o Cultura Alternativa.

 

Anand Rao

Editor do Cultura Alternativa 

www.culturaalternativa.com.br

 

 

1 Comentário

  • Link do comentário julio Quarta, 01 Novembro 2017 23:21 postado por julio

    foto ... Júlio Cecílio ... #juliocecilio

Deixe um comentário

Receba nossas atualizações e notícas

Todos os direitos reservados Portal Cultura Alternativa. Site por Alvetti.com