Portuguese English Spanish
Quarta, 01 Novembro 2017 16:25

Eduardo Kobra faz mural Gandhi na Índia

O conhecido artista urbano brasileiro entrega seu primeiro mural feito na Índia.

Com 30 metros de altura por 14 metros de largura, o mural “Gandhi – Todos Somos Iguais”, que integra seu projeto “Olhares da Paz”, foi realizado na fachada da estação de trem Churchgate, uma das mais movimentadas da cidade de Mumbai.

 

O muralista brasileiro Eduardo Kobra entregou, seu primeiro mural na Índia.

Desde o dia 19 de outubro, o artista brasileiro fez, acompanhado por Agnaldo Brito e Marcos Rafael, artistas do Studio Kobra, o impactante mural “Gandhi – Todos Somos Iguais”, na fachada da estação de trem Churchgate, uma das mais movimentadas da cidade de Mumbai.

Com 30 metros de altura por 14 metros de largura, o mural se insere projeto “Olhares da Paz”, de Kobra, que já destacou nomes como Nelson Mandela, Martin Luther King, Malala Yousafzai, Dalai Lama, Madre Teresa de Calcutá e John Lennon. A obra foi realizada com a técnica anamórfica, em 3D. No mural, Gandhi aparece descendo de um trem, em uma releitura da foto icônica feita pelo indiano Kulwant Roy em 1940. “A obra fica na ‘esquina’ do prédio da estação. Fiz o trem todo colorido e o Gandhi em preto e branco, para destacar o aspecto da sua humildade. No mesmo sentido, escolhemos para a obra o nome Gandhi - Todos Somos Iguais. Na cena, colocaremos ainda um número 3, para mostrar que Gandhi andava na terceira classe, como a maioria das pessoas na Índia”, conta Kobra, que para criação do painel visitou a casa onde o líder pacifista viveu e trabalhou. O convite para realização do trabalho foi feito pela Fundação St+art India. A organização sem fins lucrativos é responsável por um festival de arte urbana na cidade de Mumbai.

O artista conta que durante todo o período de trabalho, ele, Agnaldo Brito e Marcos Rafael conviveram com uma sensação térmica de mais de 40 graus. “Foi extremamente difícil, mas encontramos muito apoio da organização, que disponibilizou 10 pessoas para auxiliar-nos em assuntos de logística. Além disso, os andaimes da cidade são feitos em bambu. Para a gente, a meu pedido, fizeram andaimes com estrutura metálica com cabos de aço elétricos, como os que estamos acostumados no Brasil”, conta Kobra.

Antes de ir para a Índia, Kobra fez um mural em São Luís, no Maranhão. Com 33,30 metros de comprimento por 10,3 metros de altura, a parede foi transformada por Kobra em uma prateleira de livros, onde há obras de Ferreira Gullar, Graça Aranha, Nauro Machado, Aluísio Azevedo, de Bandeira Tribuzi, Josué Montello e Gonçalves Dias, todos maranhenses de São Luís, com exceção de Gonçalves Dias, que nasceu em Caxias, no interior do estado.

           

 

 

Sobre Eduardo Kobra

Eduardo Kobra, 41 anos, é um expoente da neo-vanguarda paulistana. Começou como pichador, tornou-se grafiteiro e hoje se define como muralista. Seu talento brota por volta de 1987, no bairro do Campo Limpo com o pixo e o graffiti, caros ao movimento Hip Hop, e se espalha pela cidade e pelo mundo. Com os desdobramentos que a arte urbana ganhou em São Paulo, ele derivou - com o Studio Kobra, criado em 95 - para um muralismo original - inspirado em muitos artistas, especialmente os pintores mexicanos e norte-americanos, beneficiando-se das características de artista experimentador, bom desenhista e hábil pintor realista. Suas criações são ricas em detalhes, que mesclam realidade e um certo "transformismo" grafiteiro.

      Muitos críticos afirmam que a característica mais marcante de Kobra é o domínio do desenho e das cores. Mas o que é mais fundamental para o artista é o olhar. Kobra foi desde cedo apresentado às adversidades da vida. Viu amigos sucumbirem às drogas e à criminalidade. Alguns foram presos. Outros tantos perderam a vida. Foi o olhar que o salvou.

      Kobra é autor de projetos como "Muro das Memórias", em que busca transformar a paisagem urbana através da arte e resgatar a memória da cidade; Greenpincel, onde mostra (ou denuncia) imagens fortes de matança de animais e destruição da natureza; e “Olhares da Paz”, onde pinta figuras icônicas que se destacaram na temática da paz e na produção artística, como Nelson Mandela, Anne Frank, Madre Teresa de Calcutá, Dalai Lama, Mahatma Gandhi, Martin Luther King, John Lennon, Malala Yousafzai, Maya Plisetskaya, Salvador Dali e Frida Kahlo.  

       Em meio ao caos urbano, buscou resgatar o patrimônio histórico que se perdeu. Em um contexto repleto de desigualdade social e injustiças, buscou se inspirar em personagens e cenas que servem de exemplo para um mundo melhor.

      Hoje, os murais de Kobra, estão em cerca de 40 países e em diversas cidades e estados brasileiros – como “Etnias – Todos Somos Um”, no Rio de Janeiro, “Oscar Niemeyer”, em São Paulo; “The Times They Are A-Changin” (sobre Bob Dylan), em Minneapolis; “Let me be Myself” (sobre Anne Frank), em Amsterdã; “A Bailarina” (Maya Plisetskaia), em Moscou; “Fight For Street Art” Basquiat e Andy Warhol), em Nova York; e “David”, nas montanhas de Carrara. Em todos os trabalhos, o artista paulistano busca democratizar a arte e transformar as ruas, avenidas, estradas e até montanhas em galerias a céu aberto.  Inquieto, estudioso e autodidata, também faz pesquisas com materiais reciclados e novas tecnologias, como a pintura em 3D sobre pavimentos.

Cada vez mais conhecido, Kobra fica, é claro, orgulhoso quando vê uma multidão que observa um de seus murais, mas costuma dizer que o que o comove de verdade é descobrir alguém que para no meio da correria da cidade para observar, mesmo que por um minuto, os detalhes dessa obra.

Apesar dos murais monumentais, Eduardo Kobra faz sua arte para despertar a consciência e a sensibilidade de cada um de nós.  (Airton Gontow)

 

 

 

Veja algumas das obras de Kobra no Brasil e no Exterior

 

Exterior: 

 

1 - O Beijo, na High Line, em Nova York, EUA

2 - Arthur Rubinstein, em Lodz, na Polônia

 

3 - Artistas, em Wynwood, Miami, Flórida, EUA

 

4 - A Bailarina (Maya Plisetskaya), em Moscou, Rússia

 

5 - Malala, em Roma, Itália

 

6 - Olhar a Paz, em Los Angeles, Califórnia, EUA

 

7 - Sarasota Antiga, em Sarasota, Flórida, EUA

 

8 - Abraham Lincoln, em Lexington, Kentucky, EUA

 

9 – Fight for Street Art (releitura da cena clássica de Andy Warhol e Jean Michael Basquiat), em Williamsburg, Brooklyn, EUA

 

10 – Alfred Nobel, na cidade de Boras, Suécia

 

11 – MariArte, em San Miguel de Allende, México

 

12 – Ritmos do Brasil, em Tóquio, Japão

 

13 – O Beduíno, em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos

 

14 – Mural ainda sem nome, Papeete, Taiti

 

15 - Bob Dylan, The Times They Are a-Changin. Minneapolis, Minnesota, EUA

 

16 – Hamlet, West Palm Beach, Florida, EUA

 

17 – Einstein vai à Praia, West Palm Beach, Flórida, EUA

 

18 – Give Peace a Chance, Wynwood, Miami, Flórida, EUA

 

19 – Stop Wars, Wynwood, Miami, Flórida, EUA

20 – The Fallen Angel (O Anjo Caído), Wynwood, Miami, Flórida, EUA

21 – Muddy Waters, Chicago, Illinois, EUA.

22 – Rio, Tóquio, Japão

23 – Armstrong (nome não definitivo), Cincinnati, Ohio, EUA

24 – Dante Alighieri, Ravenna, Itália

25 – Let me be myself, Amsterdã, Holanda

26 - Ziggy Stardust (sobre David Bowie), Jersey City, New Jersey, EUA.

27 – Sonho de um Menino, Dubai, Emirados Árabes Unidos.

28 – Mandela (ainda sem nome definitivo), em Blantyre, Malawi

29 – Desmond Tutu (ainda sem nome definitivo), em Blantyre, Malawi

 

28 – Dalí, em Múrcia, Espanha

 

29 – Davi, em Carrara, Itália

 

30 – Cacique Raoni (ainda em nome definitivo), em Lisboa, Portugal.

 

31 – Etnias – Todos Somos Um (talvez ainda receba um novo nome), em Sandefjord, Noruega.

 

32 – Família Monet (dois murais que conversam entre si), em Boulogne-sur-Mer (Bolonha-sobre-o-Mar), na França.

 

33 – Imagine, em Bristol, Inglaterra. 

 

34 – Gandhi – Todos Somos Um, Mumbai, Índia

 

 

Brasil

 

1 – Oscar Niemeyer, Praça Oswaldo Cruz, av. Paulista, em São Paulo, São Paulo

2 - A Arte do Gol (projeto Muro das Memórias), av. Hélio Pellegrino com av. Santo Amaro, em São Paulo, São Paulo

 

3 - Belém Antigo, esquina da rua Castilhos França com a rua Portugal, em Belém, Pará

 

4 - Candango, no Complexo Bancário, em Brasília.

 

5 - Chico e Ariano, na avenida Pedroso de Morais, Pinheiros, em São Paulo, São Paulo.

 

6 - Novos Ventos, nos tanques da Linde Gases, na rodovia Cônego Domênico Rangoni, no trecho do sistema Anchieta-Imigrantes, que liga Cubatão a Guarujá, São Paulo.

 

7 - Mural da 23 de Maio (projeto Muro das Memórias), av. 23 de Maio (próximo ao viaduto Tutóia), em São Paulo, São Paulo.

 

8 - Murais do Parque do Ibirapuera, ao lado do MAM, no Parque do Ibirapuera, em São Paulo, São Paulo.

 

9 - Pensador, Senac Tatuapé, em São Paulo, São Paulo.

 

10 – Muro das Memórias Caixa d’água, Senac Santo Amaro, em São Paulo, São Paulo.

 

11 – AltaMira (projeto Greenpincel), rua Maria Antônia, São Paulo, São Paulo.

 

12 - Muro das Memórias, Senac Tiradentes, em São Paulo, São Paulo.

 

13 – Gonzagão, Recife, Pernambuco.

 

14 - Viver, Reviver e Ousar, Igreja do Calvário, em Pinheiros, São Paulo, São Paulo.

 

15 - Brasil!, muro da usina termelétrica de Macaé, Rio de Janeiro.

 

16 – Sem Rodeio (Projeto Greenpincel), av. Faria Lima, em São Paulo, São Paulo.

 

17 – Muro das Memórias Senac Tiradentes, av. Tiradentes, em São Paulo, São Paulo.

 

18 – Racionais MC’s, Capão Redondo, São Paulo, São Paulo

 

19 – Genial é Andar de Bike, Oscar Freire, São Paulo, São Paulo 

 

20 – A Lenda do Brasil, rua da Consolação, São Paulo

 

21 – Etnias – Todos Somos Um, Boulevard Olímpico, Porto Maravilha, Rio de Janeiro, RJ

 

22 – Sobre Bike e mobilidade (nome ainda indefinido), rua Tavares Cabral, 62, Pinheiros, São Paulo, São Paulo. 

 

23 – Mural do Chocolate (nome indefinido), km 35 da rod.Castelo Branco, em Itapevi, São Paulo.

 

24 – Mural sobre a literatura e cultura do Maranhão (nome indefinido), na av. dos Holandeses s/n, na Ponta da Areia, São Luís, Maranhão

 

 

 

Deixe um comentário

Receba nossas atualizações e notícas

Todos os direitos reservados Portal Cultura Alternativa. Site por Alvetti.com