Portuguese English Spanish
Quinta, 07 Dezembro 2017 07:47

Grandes filmes sobre revoluções e revolucionários

“Se você é capaz de tremer de indignação a cada vez que se comete uma injustiça no mundo, então somos companheiros.”

Do ponto de vista histórico, a palavra revolução pode apresentar dois significados. Pode significar, por exemplo, uma evolução de um sistema de produção, ou seja, uma transformação.

Neste contexto, podemos citar a Revolução Industrial (século XVIII), quando ocorreu um avanço nos sistema de produção de mercadorias com a implantação das máquinas.

Esta evolução acabou influenciando nas áreas sociais, econômicas e políticas da sociedade europeia do período.

Num outro contexto e é nesse que a lista irá focar, pode significar uma mudança radical como, por exemplo, na Revolução Francesa.

Neste fato histórico ocorreu uma mudança radical no sistema político, econômico e social da França no século XVIII.

 

Uma revolução é alteração violenta nas instituições políticas de uma nação, muitas vezes alcançadas através de uma rebelião ou motim. É uma mudança radical dentro de uma sociedade, que ocorre no contexto político, econômico, cultural e social, onde é estabelecida uma nova ordem, que é instituída pelas forças políticas e sociais vencedoras.

 

1. Danton – O Processo da Revolução (Andrzej Wajda,01983)

Na primavera de 1794, Danton (Gérard Depardieu) retorna a Paris e constata que o Comitê de Segurança, sob a incitação de Robespierre (Wojciech Pszoniak), inicia várias execuções em massa. O povo, que já passava fome, agora vive um medo constante, pois qualquer coisa que desagrade o poder é considerado um ato contra-revolucionário. Nem mesmo Danton, um dos líderes da Revolução Francesa, deixa de ser acusado. Os mesmos revolucionários que promulgaram a Declaração de Direitos do Homem implantaram agora um regime onde o terror impera. Confiando no apoio popular, Danton entra em choque com Robespierre, seu antigo aliado, que detém o poder. O resultado deste confronto é que Danton acaba sendo levado a julgamento, onde a liberdade, a igualdade e a fraternidade foram facilmente esquecidas.

 

2. La Commune (Peter Watkins, 2000)

Em 1871, o povo de Paris, relegado à miséria e à exploração, sofrendo ainda com a recente derrota na guerra contra os alemães, revolta-se contra a República recém-instaurada por Adolphe Thiers. Com apoio da Guarda Nacional, os communards fundam um governo popular, coletivizam a produção, reformam o sistema educacional, entregam o poder ao povo. O sonho, que durou dois meses, tornou-se pesadelo quando as tropas do Governo de Thiers, saindo de Versalhes, invadem Paris e deixam um saldo de 30.000 mortos, entre homens, mulheres e crianças.

 

3. Terra e Liberdade (Ken Loach, 1995)

Em 1936, jovem inglês desempregado abandona Liverpool para lutar contra os fascistas na Guerra Civil espanhola. Junta-se ao contingente internacional da Milícia Republicana, em Aragon, e mais tarde se desentende com seus companheiros do Partido Comunista. Com essa história, Loach exprime sua precisa visão política e seu engajamento socialista inflexível.

 

4. A Batalha de Argel (Gillo Pontecorvo, 1996)

Os eventos decisivos da guerra pela independência da Argélia, marco do processo de libertação das colônias europeias na África. Entre 1954 e 1957 é mostrado o modo de agir dos dois lados do conflito, a Frente de Libertação Nacional e o exército francês. Enquanto que o exército usava técnicas de tortura e eliminava o maior número possível de rebeldes, a FLN desenvolvia técnicas não-convencionais de combate, baseadas na guerrilha e no terrorismo.

 

5. Spartacus (Stanley Kubrick, 1960)

Spartacus, um homem que nasceu escravo, labuta para o Império Romano enquanto sonha com o fim da escravidão. Ele, por sua vez, não tem muito com o que sonhar, pois foi condenado à morte por morder um guarda em uma mina na Líbia. Mas seu destino foi mudado por um lanista (negociante e treinador de gladiadores), que o comprou para ser treinado nas artes de combate e se tornar um gladiador. Até que um dia, dois poderosos patrícios chegam de Roma, um com a esposa e o outro com a noiva. As mulheres pedem para serem entretidas com dois combates até à morte e Spartacus, é escolhido para enfrentar um gladiador negro, que vence a luta mas se recusa a matar seu opositor, atirando seu tridente contra a tribuna onde estavam os romanos. Este nobre gesto custa a vida do gladiador negro e enfurece Spartacus, de tal maneira que ele acaba liderando uma revolta de escravos, que atinge metade da Itália. Inicialmente as legiões romanas subestimaram seus adversários e foram todos massacrados, por homens que não queriam nada de Roma, além de sua própria liberdade. Até que, quando o Senado Romano, toma consciência da gravidade da situação, decide reagir com todo o seu poderio militar.

 

6. O Encouraçado Potemkin (Sergei M. Eisenstein, 1925)

Baseado em eventos históricos, o filme conta a história de uma rebelião no Navio de Guerra Potemkin. O que começou como um protesto, gerou uma rebelião depois que foram servidas carnes estragadas aos marujos no jantar. Os marujos erguem a bandeira vermelha e tentam levar a revolução no navio até a sua terra natal, a cidade de Odessa.

 

7. Che (Steven Soderbergh, 2008)

Em 26 de Novembro de 1956, Fidel Castro vai de barco para Cuba com oito rebeldes. Um destes rebeldes é Ernesto “Che” Guevara, médico argentino que divide um objetivo com Fidel – derrubar a ditadura corrupta de Fulgencio Batista. Che se mostra um lutador indispensável e rapidamente compreende e controla a arte da guerrilha armada. Sua dedicação à luta faz com que seja acolhido por seus companheiros e pelo povo cubano. O filme acompanha a ascensão de Che na Revolução Cubana, de médico a comandante e a herói revolucionário.

 

8. Revolução em Dagenham (Nigel Cole, 2010)

O filme dramatiza a greve que aconteceu em 1968 nas fábricas da Ford, quando mulheres protestaram contra a discriminação sexual e em favor da igualdade de remuneração.

 

9. O Exército das Sombras (Jean-Pierre Melville, 1969)

Philippe Gerbier, membro da resistência gaulesa durante a ocupação nazista, é levado em outubro de 1942 para um campo francês e transferido para o quartel-general da Gestapo, em Paris. Ao fugir para Marselha, procura por seu traidor.

 

10. Z (Costa-Gavras, 1969)

Tendo como trama básica o assassinato de um político liberal (Yves Montand) cometido como se fosse um acidente, é retratado o caso Lambrakis, fato acontecido na Grécia no início da década de 60 no qual a investigação sobre a morte do político foi escandalosamente encoberta por uma rede de corrupção e ilegalidade na polícia e no exército.

 

11. Deus e o Diabo na Terra do Sol (Glauber Rocha, 1964)

Manuel (Geraldo Del Rey) é um vaqueiro que se revolta contra a exploração imposta pelo coronel Moraes (Mílton Roda) e acaba matando-o numa briga. Ele passa a ser perseguido por jagunços, o que faz com que fuja com sua esposa Rosa (Yoná Magalhães). O casal se junta aos seguidores do beato Sebastião (Lídio Silva), que promete o fim do sofrimento através do retorno a um catolicismo místico e ritual. Porém ao presenciar a morte de uma criança Rosa mata o beato. Simultaneamente Antônio das Mortes (Maurício do Valle), um matador de aluguel a serviço da Igreja Católica e dos latifundiários da região, extermina os seguidores do beato.

 

12. Persépolis (Marjane Satrapi, Vincent Paronnaud, 2007)

Marjane Satrapi (Gabrielle Lopes) é uma garota iraniana de 8 anos, que sonha em se tornar uma profetisa para poder salvar o mundo. Querida pelos pais e adorada pela avó, Marjane acompanha os acontecimentos que levam à queda do xá em seu país, juntamente com seu regime brutal. Tem início a nova República Islâmica, que controla como as pessoas devem se vestir e agir. Isto faz com que Marjane seja obrigada a usar véu, o que a incentiva a se tornar uma revolucionária.

 

13. Gandhi (Richard Attenborough, 1992)

Após ser expulso da 1ª classe de um trem, o jovem e idealista advogado indiano (Ben Kingsley) inicia um processo de auto-avaliação da condição da Índia, que na época era uma colônia britânica, e seus súditos ao redor do planeta. Já na Índia, através de manifestações enérgicas, mas não-violentas, atraiu para si a atenção do mundo ao se colocar como líder espiritual de hindus e muçulmanos.

 

14. Malcolm X (Spike Lee, 1992)

A sua mensagem política sobre as relações raciais mudou para sempre o papel dos Afro-americanos na sociedade americana e abalou a consciência política daquele país. Esta é a história de um homem negro numa sociedade onde muitos negros não podiam votar, andar nos lugares da frente dos transportes públicos, ir a uma escola de brancos, a história das suas esperanças, dos seus sonhos, da sua luta e dos tumultos raciais dos anos 50 e 60.

 

15. Os Panteras Negras: Vanguarda da Revolução (Stanley Nelson, 2015)

O filme combina arquivos de vídeo e entrevistas com Panteras sobreviventes e agentes do FBI para contar a história da revolucionária organização Panteras Negras.

 

16. Rosa Luxemburgo (Margarethe von Trotta, 1986)

Biografia da militante, oradora e teórica marxista Rosa Luxemburgo (1871-1919), eminente representante do pensamento e da ação social-democrata na Europa. Ao lado de Karl Liebknecht e outros colegas, ela tentou arduamente impedir a 1ª Guerra Mundial, que explodiu em 1914 e terminou em 1918.

 

Fonte cinetoscopio.

Deixe um comentário

Receba nossas atualizações e notícas

Todos os direitos reservados Portal Cultura Alternativa. Site por Alvetti.com